Faziam uns 15 anos que eu ia na mesma dentista. Adoro ela e as pessoas que trabalham lá, mas dessa vez o consultório estava em um clima de funeral. A secretária que sempre me recebia com um sorriso e fazendo piadas, me recebeu com uma cara fechada. A música ambiente do consultório não estava tocando. A secretária e uma das suas assistentes estavam mexendo, impacientes, no computador, como se estivessem tentando consertar alguma coisa.

Depois de alguns minutos, eu não me aguentei e perguntei se aconteceu alguma coisa. E a secretária desabafou:

“Eu não sei o que aconteceu, ‘deu ruim’ no sistema e a agenda sumiu. Eu já fiz de tudo e ela não volta.”

Bom, eu sou nerd. Eu sou aquele cara que aquela tia distante liga quando tem um problema no computador. E como todo bom nerd, eu sou curioso e queria ajudar. Então eu pedi para ver o bendito programa, na certeza que eu iria conseguir rapidamente resolver o problema #soquenao.

Sentei no lugar da secretária e abri o programa. Eu juro que tomei um susto com o que vi. Pra começar, ele é HORROROSO! Parece que foi feito para Windows 95, sério! Minha dentista tem um consultório bonito, no bairro mais chique do Rio de Janeiro (Leblon). Isso não combina com o padrão do consultório dela.

Fiquei uns 10 minutos na missão impossível de entender como que aquela desgraça funcionava. Milhares de ícones que não querem dizer nada, cheios de botões e funcionalidades inúteis espalhadas. No mínimo eu precisaria de um curso pra aprender a mexer naquilo. Por sorte a minha, fui chamado para ser atendido (me livrei da missão impossível). Mas na curiosidade, perguntei à minha dentista sobre o porque que eles têm esse programa. E o show de horror continuou: esse foi o segundo programa que eles tiveram lá, ganhando o título do ‘menos pior’.

Quando saí da consulta, a secretária já tinha desistido de tentar salvar a pátria, dizendo: “o próprio pessoal do suporte disse que não tem o que fazer”. Eu não acreditei no que ouvi!

A presepada causou um prejuízo de mais de R$ 10 mil ao consultório. Imagina como deve ser trabalhar 1 mês ‘no escuro’? Sem saber que paciente está marcado e não poder marcar novos pacientes? Sinceramente, não sei o que é pior: a grana que ela deixou de ganhar ou o stress gerado por isso tudo.

Fui para casa pensando nisso. Eu queria ajudar a minha dentista. Ela precisava era de algo SIMPLES, que a secretária pudesse usar sem dificuldades e que ela NUNCA precisasse se preocupar com backups.

Eu contei essa história para um amigo chamado Gustavo Lima (não é o cantor, sorry), e a gente resolveu conversar sobre isso com todos os médicos e dentistas que a gente conhecia.

Nós escutamos as histórias mais bizarras, desde agenda de papel que foi perdida, do computador que pifou com tudo dentro, a até a clássica:

“A gente pagou uma boa grana pelo programa, mas não conseguimos nos adaptar, então a gente voltou pro papel e caneta mesmo” Mas apesar desse show de horror, ficou claro que eles precisavam de algum um sistema que:

  1. Seja ridiculamente fácil de usar.
  2. Seja não só bonito mas também rápido, mais rápido que usar papel e caneta.
  3. Tenha todas as informações dos pacientes em um mesmo lugar, acessível de qualquer computador, tablet ou celular.

Então a gente jogou tudo pro alto e resolvemos nos dedicar a esse projeto, batizado de ‘Doutore’.

Em janeiro de 2014, a minha dentista abandonou todos os outros programas e passou a usar o Doutore. Ficamos nesses 4 meses aceitando novos clientes apenas por indicação, e melhorando muito o Doutore. Agora, estamos cedendo à pressão popular e vamos deixar o Doutore disponível para todos!

Então entre agora nesse link: www.doutore.com e experimente (você não leva nem 1 minuto e é grátis por 15 dias). E depois me fale o que achou. Meu email é guilhermeporto@doutore.com. Aposto que você vai gostar!

Guilherme Porto

Co-fundador do Doutore, engenheiro e apaixonado por gestão e tecnologia.


Publicado em